Jean-Luc Gattolliat

Print Friendly, PDF & Email
jean-luc-gattolliatEntrevista com o Dr.Jean-Luc Gattolliat, curador no Museu de Zoologia de Lausanne, intermediada pelo Dr. Frederico Falcão em Lousanne na Suíça.

SAMBIO: O que é o MZL?

Jean-Luc: O Museu de Zoologia de Lausanne (MZL) foi criado há pouco mais de um século. Ele envolve diferentes coleções que antes pertenciam aos chamados “gabinetes de curiosidade”, os quais possuiam animais da fauna local e também exóticos. Nessa época o museu estava diretamente ligado a Universidade de Lausanne. Atualmente o MZL emprega cerca de 20 pessoas e seus principais objetivos são:
– Promover a zoologia para um público amplo através de exposições permanentes e temoporárias
– Propor eventos científicos ao público;
– Prover a curadoria de coleções científicas;
– Apoiar estudos científicos ligados às coleções;
– Manter uma biblioteca de livros e periódicos relacionaodos à Zoologia para cientistas e não cientistas.
.

SAMBIO: Qual seu nome, formação acadêmica e função no MZL?

Jean-Luc: Jean-Luc Gattolliat, eu terminei meu doutorado há 12 anos pela Universidade de Lausanne, Suíça. Desde então venho trabalhando no MZL como pesquisador e mais recentemente como curador. Sou o responsável pela curadoria de insetos armazenas em via úmida e grande parte do meu tempo é voltado para pesquisa científica.

SAMBIO: Quais as Coleções existentes no INPA?

Jean-Luc: O MZL possui importantes coleções de vertebrados, principalmente aves, e invertebrados. Destre estas merecem destaques algumas importantes coleções de Hymenoptera, como uma histórica coleção de formigas (Auguste Forel 1848-1931; Heinrich Kutter 1896-1990) e de Ichneumonidae. A coleção de insetos aquáticos é também de grande importância. Por exemplo, o MZL abriga uma das mais importantes coleções de Ephemeroptera do mundo, com espécies tipo de praticamente todas as regiões do planeta

SAMBIO: Qual a importância destas Coleções para os Programas de Pós Graduação, a comunidades acad~emica e a sociedade?

Jean-Luc: As coleções são atualmente utilizadas por diferentes projetos: dentre eles podemos destacar The barcoding of the Swiss fauna (SBOL: http://www.swissbol.ch/), Distribuição histórica de borboletas, entre outros. Além disso, mantemos uma colaboração estreita e permanente com diversos pesquisadores envolvidos com estudos de sistemática de Ephemeroptera no mundo.

SAMBIO: Qual o papel e significado de um Curador de uma Coleção Biológica?

Jean-Luc: A primeira obrigação enquanto curador, obviamente, é garantir a perpetuidade das coleções. Assim que aceitamos e integramos qualquer espécime à nossa coleção, nós temos que assegurar as melhores condições de armazenamento e preservação, para sempre. Contudo, espécimes não se resumem a insetos alfinetados ou larvas em álcool, eles devem ser valorizados através de constants estudos, revisões sistemáticas, análises genéticas etc.

SAMBIO: Um único Curador atende a todos os grupos biológicos ou é conveniente um Curador para cada grupo? Por quê?

Jean-Luc: Nós não podemos ser experts em todos os grupos. Como a sistmática evoluiu rapidamente em alguns grupos, é impossível ter domínio sobre muitos. Por exemplo, ¾ das espécies de Baetidae (Ephemeroptera) que ocorrem na África foram descritas somentes nos últimos 30 anos. Suas atribuições genéricas, desde as descrições originais, foram alteradas de uma a até cinco vezes. Apenas um especialista é capaz de seguir essas numerosas alterações.

SAMBIO: Quais as demais funções necessárias em uma Coleção Biológica? Que níveis de formação são recomendáveis para cada função?

Jean-Luc: Distintos pesquisadores trabalhando diretamente com a coleção. Nós empregamos, geralmente, biológos com mestrado para rotinas de conservação, integração de banco de dados etc. Nós também trabalhamos em parceria com especialistas de fora do museu, por exemplo, para a atualização da identificação de material antigo.

SAMBIO: Quais são hoje as principais dificuldades que as Coleções Biológicas suiças atravessam e como superá-las?

Jean-Luc: O maior problema é a falta de taxonomistas, o que ocorre para diversos grupos, especialmente invertebrados. Ferramentas moleculares podem ser muito úteis, mas em geral levantam mais perguntas à medida que respondem outras. A conservação da biodiversidade é um dos maiores desafios para este século. Contudo, como é possível preservar a biodiversidade se você não é capaz de identificar as espécies? Essa situação só poderá ser resolvida a partir de inclusão, novamente, de cursos de sistemática no meio acadêmico e com os apoios políticos e financeiros necessários.


Veja a entrevista no original:

What is the Musée cantonal de Zoologie?

The Museum of Zoologie at Lausanne was created a little beat more than 1 century ago. It gathered different collections belonging to the so- called “cabinets de curiosités” housing local but also exotic animals. The Museum was at the time directly linked with the University of Lausanne. The MZL employed about 20 persons. The main goals of the MZL are:
– Promote zoology to a broad public by permanent and temporal exhibitions; propose scientific events for the public.
– curate scientific collections
– purchase scientific studies directly linked with the collections
– hold a library of zoology for the scientists and non scientists

What is your name, academic level and formation and function at the MZL?

Jean-Luc Gattolliat, I finished my PhD 12 years ago at the University of Lausanne (Switzerland). Since then, I am working as research fellow and more recently as curator ad interim. I am responsible of the curation of the insects stored in alcohol and great part of my time is devoted to scientific research.

Which collections are currently present at the MZL?

We possess important collections of vertebrates (mainly birds) and invertebrates. We own important collection of Hymenoptera, with historical collections of ants (Auguste Forel 1848-1931; Heinrich Kutter 1896-1990) or Ichneumonidae. The collection of aquatic insects is of high importance: we have for example one the most important collection of Ephemeroptera (Mayflies) in the world with type specimens from all the main area of the world

What is the importance of these collections to post-graduate programs? And to the scientific community? And to the society?

The collections are currently used by different academic programs: among them I can quote the barcoding of the Swiss fauna (SBOL: http://www.swissbol.ch/), research on historical distribution of Butterflies (Ancient DNA within the genus Pyrgus) . We keep strong and permanent collaborations with other researchers and from both Universities and museums in involve in systematic of mayflies from all over the world.

What are your obligations as a curator, what it means?

The first obligation of a curator is of course to insure the perpetuity (perennite in French) of the collections: when we accept and integrate specimen in our collections we have had insure to them the best storage and preservation for ever. But specimens are only not spinned insects or dead larvae in alcohol, they have to be valorised by constant studies, systematic revision, genetic analysis etc

A single curator is enough for all biological groups or is it convenient to have one curator for each group? Why?

We can not be an expert in all the groups. As the systematic evolved very rapidly in several groups, recent molecular studies have splat well known species in several sybillin species: for example ¾ the African species of Baetidae (Ephemeroptera) were described during the last 30 years and the most of them have changed their generic attribution from one to five times since their original description. Only an expert can follow such numerous changes

Besides the curator, what or who else is needed in a biological collection? What is the necessary academic formation (or level) for the other functions (or employees)?

Different scientific work directly with the collection. We employ mainly post master biologists for routine conservation works, database integrations, … We also collaborate with specialists outside of the museum for curation of collection within specialist within our institution (for example re-identification of old material)

What are the main problems faced by the biological collections in Switzerland? How to deal with these problems?

The main problem is the lack of taxonomists in several groups, especially in invertebrates. Molecular tools can be very helpful but often open as many questions as they solve. Conservation of the biodiversity is one of the most important challenge of our century. However, how can we preserve biodiversity if you not able to identify the species? This can be only solved be including again systematic courses in the academic courses and with the necessary political and financial supports.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *