Instituto Nacional da Mata Atlântica (INMA) na visão de Elisabeth Sherrill

Elisabeth Ivete Sherrill do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – MCTI/Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento-SEPED/Coordenação Geral de Gestão de Ecossistema – CGEC., é Bacharel em Economia com especialização em Ecologia pela Southampton University (1978), Inglaterra; Mestre em Planejamento Energético e Ambiental pelo Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós Graduação e Pesquisa de Engenharia (1994) – COPPE da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ e Doutora em Engenharia de Produção pela COPPE – UFRJ (1999) em área de concentração de Planejamento Ambiental. Pesquisadora Visitante na Universidade de Maryland – Instituto Internacional de Economia Ecológica (1995-96). Tem experiência de pesquisa na área de custos e benefícios ambientais – valoração da biodiversidade- desenvolvimento sustentável da Amazônia – causas sociais e econômicas do desmatamento – impactos ecológicos e climáticos globais do desmatamento na Amazônia – teoria econômica do meio ambiente. Experiência profissional nas Nações Unidas com negociações multilaterais, com Avaliação de Impacto Ambiental no Governo do Estado do RJ e em empresas de consultoria para projetos hidrelétricos e em atividades de exploração e produção de petróleo e gás. Experiência com Avaliação Ambiental Estratégica no setor de óleo e gás, na bacia Camamu Almada no litoral sul da Bahia.

ARTIGO
Instituto Nacional da Mata Atlântica (INMA): visão de museu e centro de pesquisa científica transdisciplinar integrador de informações e catalisador de ações em prol do desenvolvimento sustentável do bioma.

Artigo_opiniao