BOLETIM INFORMATIVO 05/2006

Enviado em Boletim de Editor | 10 de Junho de 2006 @ 19:21

Logotipo

PROJETO PEIXES MENINOS


Logotipo

1. APRESENTAÇÃO

1.2 – Fundamentação

O jovem se reencontra quando descobre dentro de si o seu valor, seu potencial, sua auto-estima e acima de tudo, quando encontra apoio para exercer a cidadania com dignidade e respeito.

Nunca é demais lembrar que todo ser humano tem condições de funcionar de forma inteligente dentro de seu estágio de pensamento, podendo criar e resolver problemas e não apenas reproduzir de maneira mecânica aquilo que lhe ensinam. Pais e professores têm um papel importante na construção da inteligência da criança e do jovem, criando situações que favoreçam esta construção.

Aprender fazendo. Desenvolvendo a capacidade de nossos jovens de se engajarem ativamente em processo de conhecimento transversal aos conhecimentos adquiridos na escola de formação básica, estes são os fundamentos do presente projeto .

1.2 - Justificativa

O Núcleo de Estudos do Meio Ambiente de Cumuruxatiba – NEMA CUMURU foi criado com a preocupação de desenvolver competências que sejam harmônicas com o Mei Ambiente, incluindo aí não só a natureza, mas também o homem e suas ações.

Este nosso projeto se justifica por se propor levar ao conhecimento do maior número de pessoas possíveis, quais e como são os peixes que vivem em nossos rios e riachos. As águas doce são hoje um dos maiores bens da humanidade. Precisamos conhecer em detalhes todos os personagens deste ambiente vital para nossa sobrevivência.

2. OBJETIVOS

2.1 Objetivo Geral

O objetivo geral do Projeto "Peixes Meninos" é a impressão de um livreto com uma chave de identificação visual de peixes de água doce do Extremo Sul da Bahia.

2.2 Objetivos Específicos

O desenvolvimento do Projeto "Peixes Meninos" deverão atingir os seguintes objetivos específicos:

  1. Proporcionar a um grupo de jovens de Cumuruxatiba um maior e melhor conhecimento sobre os peixes de água doce;
  2. Desenvolver entre estes jovens o espírito da pesquisa tanto no âmbito científico com o estudo dos peixes da região, como no âmbito social com a realização de entrevistas com personagens da nossa cidade;
  3. Permitir a prática de liderança e trabalho cooperativos, por meio de distribuição das diversas atividades do Projeto;
  4. Introduzir noções no uso da informática, por meio das atividades de elaboração dos textos e imagens para a produção do livreto.;
  5. Introduzir noções de diagramação e impressão durante a confecção prática do livreto;
  6. Exercitar a cooperação inter-grupos por meio da divulgação do livreto nas escolas, museus e outros espaços públicos;

3. METODOLOGIA

Os livretos de classificação visual dos peixes de água doce do Extremo Sul da Bahia serão desenvolvidos com base nas listas de peixes desta região elaboradas por pesquisadores e ictiólogos e publicadas em revistas científicas.

O material ilustrativo é constituído por fotografias em aquário elaboradas durante campanhas de trabalho de campo nos rios da região pela equipe de pesquisadores do Projeto BioBahia. Poderão ser usadas fotos de peixes da coleção para complementação.

As características taxonômicas das chaves serão baseadas fundamentalmente em caracteres morfológicos, que permitam uma identificação visual das espécies. As espécies serão separadas por grupos taxonômicos, descritos no texto da publicação.

A elaboração dos livretos usará softwares de uso comum e os livros serão impressos em impressora do tipo jato de tinta colorida.

4. PLANO DE TRABALHO

4.1. Atividades de ensino

Aos sábados pela manhã serão realizadas palestras e trabalhos. Conhecimento sobre peixes de água doce, fundamentos de informática e práticas de projeto serão ministrados pela Dra Luisa Maria Sarmento Soares e Ronaldo Fernando Martins Pinheiro.

4.2. Atividades práticas

As quartas feiras serão realizadas atividades práticas em dois grupos, constando de coletânea e resumo de informações sobre os peixes que irão ser catalogados, busca de imagens destes peixes, digitação do material e preparação gráfica do livreto.

4.3. Atividades de campo

As atividades de campo para entrevistas e observações serão realizadas e datas combinadas com o grupo para estas atividades.

5. RECURSOS

5.1. Recursos Humanos

As atividades serão realizadas em cooperação com o Projeto BioBahia e os jovens que participarão do projeto serão escolhidos democraticamente pelo grupo de jovens que formam a Patrullha Ambiental de Cumuruxatiba.

5.2 Recursos Materiais

O Projeto BioBahia irá disponibilizar um sala, com micro computador ligado a Internet e os livros para as pesquisas necessárias.

Para impressão dos livretos será utilizado material disponibilizado pelo Projeto BioBahia.

7. CONCLUSÃO

7.1 Considerações Finais

Este projeto irá permitir aos jovens desenvolver diversas competências relacionadas com a capacidade de operação autônoma mas solidária. Estas são duas características fundamentais para que se produza uma geração capaz de lidar melhor com o meio ambiente do que as gerações anteriores.

O jovem tem que sentir livre, mas precisa entender que esta liberdade tem que estar comprometida com a qualidade de vida de toda a comunidade. Ninguém será completamente feliz em uma comunidade infeliz. Ninguém será completamente livre numa comunidade oprimida.

 

7.2 Mensagem de Encerramento

“Espero
tenho fé
que jamais
jamais passarei pela vergonha
de me acomodar.”

Maiakovsky


EQUIPE DO PROJETO:

Luisa Maria Sarmento Soares
Ronaldo Fernando Martins Pinheiro
Manoela Almeida dos Santos
Vazigton Guedes Oliveira
Camila Almeida dos Santos
Maine Silva Azevedo
Fabio Santos Cunha
Ana Carolina Sarmento Soares Porto
Raiher Fonseca Soares


Cumuruxatiba - Prado - BA, Maio de 2006


BOLETIM INFORMATIVO 04/2006

Enviado em Boletim de Editor | 3 de Junho de 2006 @ 13:25

Logotipo

Proposta apresentada para realização de trabalho de meio ambiente junto ao projeto da APPA para a RESEX

Apresentação

Em Assembléia realizada no dia 26 de maio, com a presença de 81 moradores, foi dado inicio a criação formal do Núcleo de Estudos do Meio Ambiente de Cumuruxatiba - NEMA CUMURU, com a finalidade de participar em atividades relacionadas com o Meio Ambiente. Esta Associação está sendo constituída como uma continuidade da "Patrulha de Cumuru" que vinha trabalhando com estes temas já há mais de três anos no distrito de Cumuruxatiba.

Entre as finalidades óbvias do NEMA-CUMURU está a de fortalecimento das ações de meio ambiente em nossa região e fundamentalmente junto aos espaços de proteção existentes, tais como a RESEX e o PARNA.

Entendemos que podemos contribuir efetivamente junto a APPA e seus parceiros na última fase de execução do Projeto: "Fortalecimento da Gestão Participativa do Uso dos Recursos Pesqueiros na Reserva Extrativista Marinha de Corumbau", financiada em conformidade com o Edital 02/2002 – Fundo Nacional do Meio Ambiente.

Com este intuito preparamos a presente proposta, ressaltando no Anexo 1 nossos comentários relativos a proposta da APPA ao FNMA que balizaram esta preparação.

 

Introdução

No nosso entendimento o fortalecimento da gestão participativa que culmine com a construção de um projeto auto-sustentável para a região da RESEX deve levar em conta os aspectos sócio-economico-ambientais da comunidade em que a RESEX está inserida.

Em primeiro lugar precisamos compreender a área da RESEX como composta por no mínimo seis regiões com características diferenciadas: Cumuruxatiba – Imbassuaba e Barra do Cahy – Veleiros – Corumbau - Aldeia Barra Velha – Caraíva. É necessário o conhecimento e respeito por estas diferenças para que seja possível a construção de uma unidade dentro da área da RESEX.

Em segundo lugar a RESEX está hoje inserida dentro de um contexto social complexo. Convivendo com a comunidade de pescadores temos outros grupos tais como: a comunidade indígena, os assentamentos, os pequenos comerciantes e os profissionais de serviços.

A preservação auto-sustentável do meio ambiente não pode ser vista simplesmente como a preservação dos recursos naturais, mas sim como um conjunto de ações que possam garantir a disponibilidade de recursos naturais, respeitando os limites da biosfera e reduzindo a pobreza.

Assim que entendemos que a ação ambiental deva estar pautada nestas considerações. E para atendê-la estabelecemos nossas metas de trabalho.

 

Metas de trabalho

Nossa atuação dentro da proposta do plano de trabalho para a etapa final Projeto com o FNMA deve ser viabilizada da seguinte forma:

 

Frente 1 – "Avalia" Resex

Nesta fase deverá ser feito um grande esforço de dar transparência a todo o trabalho gerado. Precisamos construir um conhecimento, entre os que irão operar nas atividades de ação ambiental, sobre cada produto realizado pelo projeto até o momento, e as metas que se pretende atingir até o seu final. Esta ação não pode ser um mero repasse de doutrinas e informações, mas sim uma construção firme e sólida de convicção do que se pretende fazer em termos de montagem de um pacto de ação comum de toda a comunidade, que permita a montagem de um plano de manejo viável para a RESEX. Este fase deverá incluir ainda uma construção de parcerias do núcleo ambiental de Cumuruxatiba com núcleos ambientais nas outras seis regiões que compõe a RESEX. O grupo de Cumuruxatiba poderá inicialmente dar cobertura à região de Imbassuaba e Barra do Cahy. Quanto às regiões de Veleiros, Corumbau, Aldeia Barra Velha e Caraíva deverão ser contatados colaboradores e empreendedores de ações ambientais locais para realizar, em parceria com o grupo de Cumuruxatiba ações conjuntas e coordenadas.

 

Frente 2 – "Identifica" Resex

Em conformidade com nossas colocações iniciais nesta fase deverá ser dada importância à idéia de definição de uma "consciência da identidade". Podemos ter um papel fundamental mantendo viva a necessidade de que esta construção não deva significar segregação, mas sim integração. A RESEX não é uma realidade isolada física e geograficamente de outras comunidades. Pelo contrário, está inserida em um contexto de multiplicidade social. Será necessário um grande empenho para que estas identidades, cada uma com suas riquezas culturais, se construam fortalecendo uma as outras.

Frente 3: "Planeja" Resex

As possibilidades de se delinear nesta fase um "Plano de Desenvolvimento Local Integrado e Sustentável" será resultado de se ter construído de forma adequada à noção de "consciência da identidade". Só com a consolidação da organização e compreensão de seus papeis pelos diferentes setores que formam nossa localidade será possível criar raízes para uma integração e sustentação destes setores. A identificação de necessidades comuns como educação, saúde e comunicação serão fundamentais como elo comum para esta construção. Outro aspecto importante nesta fase será a identificação de novas fontes de financiamento para continuidade dos projetos.

Frente 4: "Maneja" Resex

A consolidação do plano de manejo só será efetiva se conseguirmos que este reflita todo o trabalho anteriormente realizado. É o momento de consolidação das necessidades de cada um dos atores envolvidos. O plano de manejo só se realizará na prática se for sentido como uma construção de todos, em que cada ponto tenha sido negociado de forma democrática e colocando-se os interesses de toda comunidade acima de interesses pessoais e de grupo.

 

 

Conclusão

O NEMA CUMURU poderá ter uma participação significativa nesta etapa final do Projeto. Achamos que as atividades devam ser olhadas do ponto de vista do cumprimento das metas assumidas. Mas também, devemos olhar a gestão social da comunidade como algo contínuo. Desta forma é imprescindível que desde já estejamos preocupados na obtenção de novos financiamentos que possam permitir a construção de um sistema auto-sustentável para a RESEX e para a nossa região.

O trabalho ambiental não deve ser olhado apenas do ponto de vista do cumprimento da parte da meta 3 referente a Educação ambiental da proposta da APP. Ele precisa ser realizado de forma a desenvolver e implementar, de forma participativa, um plano sistemático de divulgação e informação, apoiando e fortalecendo as organizações comunitárias, construindo, de forma participativa, as bases para um maior envolvimento comunitário nos processos decisórios da RESEX.

Este projeto foi discutido e aprovado pelo Conselho Deliberativo do NEMA CUMURU, em reunião extraordinária realizada em 10 de junho de 2002.