BOLETIM INFORMATIVO 44/2008

Enviado em Boletim de Editor | 2 de Outubro de 2008 @ 18:57
Logotipo


NOSSOS RIACHOS


Projeto de Recuperação do Rio da Barrinha.

O NEMA vem se preparando para a execução deste projeto (veja na parte final as atividades já realizadas) tendo definido as seguintes necessidades:

1. Melhoria de sua infra-estrutura
Com este objetivo foi tomada a decisão de compra de um computador e a conexão deste a InterneT por meio de provedores locais. O computador já foi comprado. É um Pentium Dual Core E2180 2.00 GHZ; memória DDR2 de 2GB; disco rígido de 250GB e Sistema Operacional Linux

A tarefa agora é conseguir um provedor de Internet. Estamos fazendo contato com nossa sócia fundadora Jalene para ver se consegue uma doação da Maximidianet. Uma outra opção seria um oferecimento de pessoas que pudessem bancar a mensalidade de R$ 80,00 mensais. É fundamental, para que o NEMA busque os financiamentos de projetos, possuir uma infra-estrutura mínima, que o conecte a Internet.

Como último item para a melhoria de nossa comunicação estamos colocando no ar o “Forum NemaCumuru“. Ele vai permitir que as comunicações de todas as atividades sejam disponibilizadas de forma rápida para conhecimento de todos. Vai permitir também que qualquer interessado deixe suas críticas, sugestões e colaborações. O Fórum ainda está em elaboração e logo, logo estaremos enviando convites para participação em mais este meio de comunicação do NEMA.


Foto de satélite da bacia do Rio da Barrinha

2. Projeto Piloto

O NEMA elaborou um projeto piloto para a proteção da nascente principal do Rio da Barrinha.

Este projeto prevê o plantio de 2.000 mudas em um raio de 50m ao redor da nascente. Suas principais atividades serão:

2.1. Autorização do proprietário - Deverá ser assinado com o proprietário do local, onde está a nascente, um documento em que ele autorize a realização do projeto e se comprometa em cooperar para a manutenção da área replantada.

2.2. Isolamento da área de plantio - Após o termo de autorização será necessário cercar a área onde será realizado o plantio das mudas. Para o cercamento de bovinos será necessário providenciar:
a. 1.650 metros de arame galvanizado com diâmetro mínimo de 1,6 mm e alta resistência à ruptura (350 Kgf) - para cerca com 3 arames;
b. Mourões (postes, esteios ou esticadores) de eucalipto tratado, roliços, com diâmetro entre 15 e 20 cm e com 2,30 ou 2,50cm de altura. O topo deve ser chanfrado para evitar infiltração de água;
c.Componentes diversos para montagem da cerca.

2.3. Local para recebimento das mudas - O local para recebimento das mudas deverá ser preparado antes da chegada das mesmas e do adubo. Deverá ficar próximo ao local de plantio e de fácil cuidado para que as mudas não sofram até o plantio definitivo.

2.4. Limpeza do terreno - A área cercada com arame deverá ser limpa de matos e ervas, evitando-se cortar pequenas mudas que possam existir no local. O terreno não deverá ser muito revolvido e em nenhuma hipótese o mato retirado será queimado.

2.5. Marcação das covas - A marcação das covas será realizada a partir de um centro estimado para as nascentes. Serão traçados círculos concêntricos com diâmetros crescentes de 2 em 2 metros até 50 metros. Em seguida em cada círculo serão marcados pontos distantes aproximadamente 2 metros uns dos outros, cuidando-se para as marcações de círculos vizinhos não fiquem alinhadas.

2.6. Abertura das covas - Em cada ponto marcado serão abertas covas com dimensões aproximadas de 30 cm de diâmetro por 40 cm de profundidade. Em cada cova será aplicado 6 litros de esterco de curral (20% do volume da cova) ou 3 litros de esterco de galinha (10% do volume da cova).

2.7. Transporte das mudas e adubos - As mudas e adubos deverão ser transportadas desde o local de produção até o local de plantio.

2.8. Mobilização para o mutirão - A comunidade deverá ser mobilizada nos diversos níveis para participar do mutirão de plantio.

9. Mutirão de plantio - Nos dias determinados para o plantio as pessoas deverão ser deslocadas até a área de realização dos trabalhos.

10. Cuidados e manutenção das mudas - Após o plantio será estabelecido o plano de cuidados e manutenção das mudas, acertados com o proprietário. Deverá haver um controle, em períodos pré-estabelecidos, destes cuidados.

As quinhetas mudas iniciais já foram doadas por um viveiro de Imbassuaba, que também irá ajudar nos adubos e coordenação do plantio. Nossa conselheira Dani está fazendo gestões para conseguir as 1.500 mudas faltantes. Nosso parceiro Ronaldo Baguinha também está buscando outros parceiros para fornecimento das mudas e de estacas para a cerca. Estamos abertos a receber toda cooperação possível.


Foto de satélite da nascente principal do Rio da Barrinha

3. Construção de Parcerias
O NEMA está fazendo contato com diversas entidades para estudar a possibilidade de parcerias durante o projeto. Uma vez identificados os parceiros e o tipo de cooperação serão assinados convênios de parceria. Estas parcerias são muito importantes no momento de se pleitear financiamentos. Pedimos aos grupos e associações que desejem participar neste projeto que façam contato conosco.

3. Viveiro de mudas
Para a execução do projeto completo de recuperação da mata ciliar do Rio da Barrinha serrão necessárias cerca de 60.000 mudas. O NEMA está desenvolvendo um projeto para realização deste viveiro. Ele deverá além de produzir as mudas que vamos necessitar, ser um importante elemento de Educação Ambiental envolvendo crianças, jovens e adultos da comunidade.

====================================================
UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL


Délia Ladeia, Coordenadora do Polo UAB de Itamaraju comunicou o início do curso de graduação em Matemática.

A Universidade Aberta do Brasil é uma proposta de parceria entre os governos Federal, Estadual e Municipal de Educação Inclusiva, que abre novos caminhos e perspectivas para insersão do ensino superior público na modalidade à distância no interior do País.

Itamaraju é pólo da Universidade Aberta do Brasil e firmou parceira com a Universidade Federal da Bahia -UFBA na oferta do curso de graduação em matemática. Esta é uma excelente oportunidade para as Secretarias Municipais de Educação da região do Extremo Sul incentivar os seus professores à graduação e a toda a comunidade, pois o pólo é regional.

As inscrições para o vestibular de matemática pela UFBA foram abertas de 02 a 11 de setembro, e ofereceram 50 vagas sendo 25 para categoria I destinada os professores com vínculo na Rede Pública de educação com atuação na região do pólo UAB e 25 vagas para categoria II destinada a demanda social.

Parabéns por mais este passo.

====================================================

PARQUE NACIONAL DO DESCOBRIMENTO - PND


Foto de uma das nascente do rio Imbassuaba no PND.

Conselho Consultivo do Parque Nacional Descobrimento


Relatório de participação do NEMA nas reuniões do Conselho do Parque

Reunião de 27/05/2008

Visita a Mineração Monte Pascoal

Foi feito um breve histórico sobre o caulim, que é utilizado para a fabricação de tintas, remédios, etc. Mostraram as ferramentas e equipamentos que são utilizados para as escavações e as camadas de solo que são coletadas e analisadas. Depois visitamos as covas que são feitas para a extração do caulim. Essas chegam a atingir mais de 40 metros de profundidade. Vimos também o caulim depois de extraído, fica em montes em volta das covas, esperando ser transportado para a sede para lavagem, pois o caulim tem algumas qualidades, sendo numeradas de 1 a 4. Essa numeração é feita de acordo com a pureza do lote, por exemplo, o lote que tem mais caulim puro é numerado como lote 1. Conforme ele está misturado com outros minérios, vai aumentando a numeração. Eles também mostraram os relatórios (EIA/RIMA) e o plano de recuperação da área que foi degradada. Neste caso, depois da total extração, eles pretendem aterrar até certo ponto e depois completar com água para fazer uma lagoa nesta área. Eles possuem um pequeno viveiro de mudas. Estas são plantadas no entorno das covas, e algumas foram distribuídas para os participantes.

Relatório de atividades do PND em 2007

O PND tem 9 anos de criação (desde 20/04/1999) e possui 21.000 hectares. Foi mostrado o relatório de todas as atividades e todos os gastos do PND. Cada cadeira do conselho recebeu uma pasta com os relatórios, as atas das reuniões anteriores e a Lei da Vida - lei de crimes ambientais.

Reunião de 26/08/2008

A reunião aconteceu no Assentamento 1º de abril. Primeiro contou-se um pouco sobre a história do assentamento. Ele foi criado em 1989 e possuía 571 hectares doados pelo governo estadual, mas depois a terra foi reduzida para 491 hectares. Tem 40 posseiros, possui uma APP (Área de Proteção Permanente), mas sem a área adequada. Foi feita uma caminhada pelo assentamento, para conhecer um pouco mais da estrutura. A reunião foi dentro da faculdade do Assentamento, que possui auditório, dormitórios, refeitório e um grande salão central.

Dois tópicos seriam abordados nesta reunião: mineração e eucalipto. Na verdade só a mineração Monte Pascoal que foi avisada, o representante do eucalipto (Vinícius - Aracruz) deu explicações, mas não foi avisado que seria feito desta maneira.

Eucalipto

Eurípedes, do ICM-IBAMA fez um breve resumo do que está acontecendo com as plantações de eucalipto no entorno do Parque. Na verdade, existem duas empresas que exploram esta área, a Aracruz e a CBF, esta última não tem licença para estar operando na região e está em área de nascente.

O plantio na região começou em 2002/2003. Em 2005, o Ministério Público Federal proibiu o plantio de eucalipto até 10 km do entorno de qualquer unidade de conservação. Foi feito um acordo em que as empresas do entorno deveriam pagar uma compensação, criando um fundo sócio-ambiental e liberando os resíduos do eucalipto para o artesanato, diminuindo assim a exploração de árvores nativas para esta finalidade. Para receber esses materiais, é necessário que a pessoa seja cadastrada e que ela própria os retire, o que inviabiliza seu usos para muitas pessoas.

Existe também uma lei municipal que proibe áreas de plantio de eucalipto maiores que 700 hectares.

Os representantes presentes na reunião questionaram sobre qual seria o verdadeiro retorno para a comunidade, já que as promessas que o setor do eucalipto faz, tais como melhores estradas, melhorias para as comunidades do entorno, etc, na maioria das vezes não estão sendo concretizadas. Pelo contrário só estão trazendo transtornos e riscos nas estradas.

Os principais questionamentos foram:

1. A barcaça, que está afetando os pescadores e as baleias, pois está passando dentro da área da Resex-Corumbau.
O representante da Aracruz argumentou que a barcaça que faz esse percurso é de responsabilidade da Veracel. Que a Aracruz tem uma participação de 50% Veracel, e que essa reclamação seria levada ao representante da Veracel para que eles tomem as devidas providências.

2. O transporte, tanto em relação as estradas e pontes como as carretas (motoristas irresponsáveis)

Foi dito que a estada principal é de responsabilidade do governo estadual (DERBA) e que a Prefeitura recebe verba para fazer a manutenção desta estrada. A estrada litorânea é municipal. O Vinicius, disse que a empresa é co-responsável, e quem tem a maior responsabilidade é o “fomentado” (o dono da terra onde é realizada o plantio)pela Aracruz. Ele disse que pode entrar em parceria com a comunidade, mas que normalmente as melhorias das estradas são realizadas e mantidas pela Aracruz.

Quanto a ponte do Rio Japara Grande e Mirim, foi mencionado que foram mal projetadas, pois já era previsto a passagem destas carretas que pesam em média de 50 toneladas.

Com relação ao comportamento irresponsável de alguns motoristas, ele disse que se anotar a placa da carreta, o motorista é mandado embora na hora.

Com relação a exploração da mão-de-obra: foi alegado que se está havendo exploração é por parte dos fomentados ou terceirizados destes, pois a Aracruz tem uma ótima relação empresa-funcionário.

Depois destas justificativas ele explicou os primeiros passos para o plantio de Eucalipto. Antes de fazer o fomento, a Aracruz faz um levantamento da APP, que deve ser de 20% do total da propriedade; mede-se também a Reserva Legal, uma área além da APP; mapeia os efetivos locais de plantio e verifica as estradas, se a área é de mata ou pastagem, etc…

Para começar o plantio: deve-se aplicar herbicida (glicofosfato) e depois a subsolagem (trator de esteira; fosfato reativo). Calagem (se necessário, mas é feita praticamente anual) e depois de um ano mais adubação. O potássio há uma diminuição da concentração. O monitoramento de pragas e doenças é feito a análise do patógeno e usa-se um agrotóxico de tarja verde. O trabalho dura 120 dias, sendo irrigado até os primeiros 25-30 dias, depois é só monitoramento.

Uma diferença das plantações de eucalipto feitas no Espírito Santo (ES) e na Bahia (BA) seria que no ES predomina a agricultura familiar (3% é para eles), já na BA, são 38.000 hectares de fomento, sendo apenas 2.000 contratos, pois as terras estão na mão de poucos, os proprietários visam o comércio. Uma solução seria trazer modelos de contratos para trazer a agricultura familiar nos padrões da BA.

Mineração

O Caulim é usado na fabricação de medicamentos, ração, tintas, etc. A extração é feita através de escavação e armazenamento do composto. Por ele ser úmido, não há suspensão. Depois ele é levado por caminhões para ser feita a lavagem. O beneficiamento é feito no Guarani, e os efluentes são 100% reciclados, não havendo emissão. Já foi feito o EIA/RIMA que será analisado pelo Ibama.

Sempre estão pesquisando para descobrir novas áreas de reserva de Caulim. Quando acham uma área em potencial, tem que pedir uma guia de autorização para estudar a área. Eles acharam uma área de 900 hectares, que fica a 500m do PND, mas para começarem explorar precisam da anuência do Ibama para poder fazer poço para pesquisar e explorar a área, e essa área de pesquisa é de apenas 3 hectares. Eles precisam fazer esse levantamento e entregar o relatório para conseguir a guia de utilização, se a área for própria para a exploração. A mina seria de no máximo 30 hectares.

Os impactos causados pela mineração: alteração de microclima (luz, barulho, etc); afastamento da fauna; sedimentos nos cursos d´água, atrapalhando o crescimento limnológico, interferindo no crescimento de corais, crustáceos, etc.

Plano de Manejo do PND

Saiu a licitação para fazer o plano de manejo. O PND é o último maior fragmento de mata atlântica do nordeste. Dentre as 57 Unidades de Conservação apenas 2 tem plano de manejo. Destre outras coisas, deve-se decidir qual é a melhor área para visitação, onde terá menos impacto para garantir a integridade do ecossistema.

====================================================
Projeto de Recuperação do Rio da Barrinha
Atividades realizadas
.

Agosto/2008
Foram entrevistados os moradores da área rural, sendo identificado as seguintes propriedades:

1ª - Proprietário: Rafael - Moradores: (Ainda não encontramos com eles)

2ª - Proprietário: Genival Gama - Moradores: Gervásio e Catarina

3ª - Proprietário: Sônia Gama (do outro lado do rio)- Moradores: Diba

4ª - Proprietário: Genival Gama - Moradores: Marineide e José Nascimento

5ª - Proprietário: Mançoete Gama - Moradores: Leidimária

Houve visita na nascente com o Paulo Matos. Foram feitas várias fotos deste dia. Íamos coletar o solo para análise, mas não deu certo.


Nascente do Rio da Barrinha


Represa próximo a nascente do Rio da Barrinha, sem mata ciliar


Rachoviscus graciliceps e Aspidoras virgulatus duas espécies encontradas próximas a nascente do rio. A primeira consta da lista de ameaçados de extinção

Reunião do Conselho do Parque Nacional do Descobrimento.
Fomos a Caravelas para conhecer a sede do Projeto Manguezal/Cepene (Centro de Pesquisa e Gestão de Recursos Pesqueiros do Litoral do Nordeste). Conhecemos a sede que fica em Ponta de Areia e o viveiro de mudas fica na Aracruz, no embarque das barcaças de eucalipto.

Setembro/2008

Visita a nascente em 18/09. Recebemos umas dicas de como aproveitar as mudas naturais que já estão lá para que elas se desenvolvam melhor e mais rápidas. Também que com o desmatamento e queimada da área, todas as plantas estão indo atrás dos nutrientes que estão ficando nas baixadas (sendo lixiviados) e por isso tem tantas plantas que nem são de beira de rio nas margens.

Visita de orientação na nascente

Em 20/09 houve outra visita a nascente com o pessoal do Projeto Manguezal. Foi feita no dia da festa da Resex. Nós encontramos o Seu Genival Gama, um dos donos das terras em que o rio passa e ai ele nos recebeu super bem! Veja foto dele com todos nós em volta.


Grupo do Projeto Manguezal é recebido pelo NEMA

Depois o Seu Diba mostrou as outras nascentes que ainda não conhecíamos, como esta que tem a represa.


Grupo visita o rio e é recebido pelo Sr.Diba

Em 24 de setembro foi coletada amostra do solo da nascente para análise.

====================================================

PRESTAÇÃO DE CONTAS

Em 22-out-07 foi gasto R$36,80 com Xerox e autenticação para o CGC
Em 7-nov-07 foi paga uma ajuda de custo de R$50,00 para a Dani e Eli participarem na reunião PND.
Em 26-set-08 foi comprado um computador de Pentium Dual Core E2180 2.00 GHZ; memória DDR2 de 2GB; disco rígido de 250GB e Sistema Operacional Linux por R$ 1.129,00.

Nosso saldo atual é de R$ 1.189,79.

Em nossa sede, exposto no quadro de avisos, está a disposição de todos os sócios e visitantes, a relação dos recursos recebidos e dos gastos realizados.

Nosso livro caixa está disponível também na Internet.(clique aqui).
Está disponível também em nossa Sede, para consulta de nossos associados, o Estatuto, as Resoluções do Conselho, o livro de atas das reuniões do Conselho Deliberativo e os textos dos projetos aprovados pelo NEMA. Pedimos a nossos visitantes que assinem o livro de presença e deixem seu e-mail para mantermos contato.

Deixe uma resposta.