Escolha acima o número e a página do Jornal
FALE CONOSCO(indicando sua cidade de origem)     76 MENSAGENS RECEBIDAS


COMO INICIOU O JORNAL RECOMEÇO
" Escrever é uma salvação.
 Escrever é procurar entender.
 Escrever é abençoar uma vida que não foi abençoada."
Clarice Lispector
" O Jornal Recomeço iniciou em junho de 2001 para circular na cadeia de Leopoldina, MG e órgãos afins. 
A primeira idéia era passar esperança aos detentos. Como diz o título do jornal, de que é possível recomeçar, apesar de toda a marca e desesperança que ficam da prisão.
 O segundo objetivo seria resgatar o potencial que todo ser humano tem de se humanizar em contato com a beleza através de textos literários e auto-ajuda.
 E o mais importante de todos: levá-los a resgatar a auto-estima, através da escrita. E valemo-nos do texto da Clarice Lispector, no qual ela diz: " Escrever é uma salvação. Escrever é procurar entender. Escrever é abençoar uma vida que não foi abençoada."
 Na época, ficamos sabendo que, em nossa cidade, havia cerca de 80 presos em 6 celas (Há uma cela 1, mas só para mulheres, com cinco presas). A cadeia não contava com nenhuma atividade e o banho de sol só duas vezes por semana, única hora em que os presos saem das celas. E um dado preocupante: a maioria tem menos de 30 anos e muitos foram presos antes dos 21 anos de idade.
Os crimes? Em sua maioria furtos, agressões por brigas, usuários de drogas, por aí. Escolaridade? Apenas um entre os 80, havia completado o ensino fundamental e o médio. Estamos fazendo um cadastro dos presos, no qual vamos analisar a relaçaõ escola-criminalidade, ou seja o quanto a escola é omissa e incompetente com nossas classes populares. Se esses presos iniciaram o seu processo de aprendizagem e todos um dia se matricularam numa escola pública, está na hora de começar a perguntar: Por que se evadiram? Por que a maioria não passou nem da 2ª série do ensino fundamental? Quais as causas dentro da instituição-escola que ajudaram a romper o tênue fio que segura as nossas crianças e adolescentes pobres na escola?
INÍCIO NA CADEIA
Em Leopoldina, já funcionava há bastante tempo, a Pastoral Carcerária da Igreja Católica. Todo sábado, um grupo de pessoas da Pastoral vai à cadeia visitar e realizar um culto religioso com os presos. Nós pedimos a este grupo se, após o culto, poderia entregar um jornal feito para os presos e que não teria nenhuma conotação religiosa. Seria uma experiência e se eles se interessassem, o objetivo seria fazê-los escritores do jornal. Elas gostaram da idéia e levaram o primeiro número no qual colocamos a primeira mensagem de esperança e uma linda poesia da Cora Coralina feita para "um presidiário".
Nesse primeiro múmero constou um editorial, no qual comunicamos aos presos que o jornal era "deles", que enviassem artigos escrevendo sobre o tema que quisessem, inclusive histórias de suas vidas.
A partir daí, choveram artigos de vários presos. Foi despertada a alegria de ler e escrever.
De início, pensávamos fazer um jornal mensal. Com o êxito e o entusiasmo despertados, resolvemos fazer quinzenal, mas a pena de saber que todos os sábados, eles esperavam pelo jornal, nos fez transformá-lo em semanal.
O jornal é distribuído, além da cadeia de Leopoldina, no Fórum da cidade, nas igrejas, algumas instituições como a APAE e para pessoas interessadas. Alguns presos também enviam para suas famílias, muitas em outras cidades.
Gostaríamos de dividir com todos esta experiência que poderia acontecer em outros lugares. Estamos convictos de que ela pode salvar vidas e atenuar o caos do nosso sistema carcerário.
O mais importante é ACREDITAR que todos podem ter o seu RECOMEÇO.
Dos editores do Jornal Recomeço