Escolha
 
logo FALE CONOSCO
shunya meditação mestres textos zen dzogchen links

A tigela e o bastãoA TIJELA E O BASTÃO
120 contos Zen

de Taisen Deshimaru
Editora Círculo do Livro


Nestes cento e vinte contos e histórias tradicionais, alguns dos quais remontam à vida de Buda, há dois mil e seiscentos anos, descobrimos a estupenda carga de humor e toda a força e vivacidade do seu espírito. Pois, não nos iludamos, cada uma dessas narrativas nos abre portas e descreve um modo de ver a realidade.

A história, a lenda desembocam numa verdade profunda e trazem em si um sentido eterno.Diz um provérbio zen que, quando nos mostram a lua, devemos olhar para ela e não para o dedo que no-la aponta. O mesmo acontece aqui, nesta coleção.
M.de S.

Índice

Preâmbulo
O verdadeiro tesouro
O sabor do zen
Uma tigela, o vazio
Algumas pétalas sobre o tatami
o som do calhau, o som do bambu
Quem tem bom gosto?
O pato que canta
Terminar a refeição, lavar as tigelas
O vento sopra
Vivo ou morto?
O ouro do dedo
Agarrar a oportunidade
A vida não passa de um sonho
Debaixo da ponte não há ladrões
Luar num campo
História de Gobuki
O pássaro de duas cabeças
A cabeça e o rabo
Quem ama o outro?
Ah! ah! ah!
Isto ou isto?
Quem é responsável?
O espírito do outro
História de carma
A moral do tao
A lua pela janela
Cólera e inveja, que carma
O mosquito ou o pai
A sopa do leproso
A cauda do elefante
Não faço nada
Pensar sem pensar
O polegar do mestre
Nem nada, nem não-nada
A transmissão do barqueiro
Grande e profundo mestre!
Rápido como
Água pura, água suja
Onde está o crime?
Ombro direito, ombro esquerdo
A cenoura
Não fugir
As duas rãs
A verdadeira intimidade
Onde está o enfermo?
O espírito da pedra preciosa
As três pontes
O rosto no barril
Silêncio total
Os dois narizes
Beleza natural, verdade inconsciente
Além do espelho
Forjar a imagem
Sem finalidade nem espírito de lucro
Reflexo da lua na água
Cabeça grande
Orelhas compridas
História de kami
As duas vacas no mar
Não morrer
O sutra da grande sabedoria
Quente, muito quente
O vento no saco
Entrai pelo pórtico
Passear na montanha
Polir a telha
Larvas num cadáver
A natureza do Buda
O espelho no cofre
Pensar, não pensar
Grande mestre, grande discípulo
O espírito da velha dama
Lenda indiana
Uma prancha no mar
O ramo de pinheiro
Bela noite
A bola rola
Nem moço, nem velho
A pesca e a pereira
Com que espírito comereis?
Sai! Entra! ou a severidade de mestre Kiss
O filho mendigo
A pedra preciosa
História de shiho: a medula
Os dois espíritos de Senjo
O koan do mais velho
O filho na cama
A velha dama, o monge e a moça
Zazen sobre o pinheiro pára-sol
Uma sineta, um fantasma, o sino grande
História de generosidade: fio de prata, fio de aranha
A vida, a morte
Passe, o tesouro
A fonte, a raiz
A moça e o seu vestido de luz
Merecer, mas e quê?
A semente do destino
A impermanência: Mujo Seppo
Sesshin de verão
Respeito!
Hoichi, tocador de biwa
Os dois espíritos
A brasa, debaixo da cinza
Vem!
A água na garrafa
O Zora! Ko Zora!
Renge-shiki e os méritos do kesa
Koan sexy
O vento do outono dispersa as folhas mortas
Sem categorias
O ranho e as batatas-doces
Uma vozinha debaixo da trouxa
A tigela e o bastão
Concordo! Concordo!
Um público de bonecas
O saber agir
Mais... Mais... Obrigado’
Dez mil braços
História de raposa
Quinhentos volumes, três palavras
Espelho brilhante?
Na China, um velho cozinheiro
Buda vivo? A postura