A quarta nobre verdade: o círculo óctuplo

Texto de Sylvia Boorstein,
extraído do livro
É mais fácil do que você pensa

Suponha que usemos uma viagem para representar metaforicamente a busca espiritual universal. O principal roteiro que o Buda ofereceu para a viagem rumo à felicidade e ao contentamento é chamado de Caminho Óctuplo, mas eu sempre acho que ele deveria ser chamado de Círculo Óctuplo. Um caminho vai daqui até ali, e, quanto mais perto você estiver dali, mais longe estará daqui. Um caminho é progressivo, como uma escada e, assim como você não pode pular diretamente para o quinto degrau de uma escada e começar a subir, no caminho verdadeiro você precisa partir do início e prosseguir num trajeto linear até chegar ao fim. Com um círculo, você pode começar em qualquer parte e estará. no mesmo círculo.

Quando o Buda ensinou esse caminho, disse que ele tinha um número específico de elementos constituintes; as pessoas poderiam ter certeza de estar no caminho certo se vissem algum dos oito indicadores especiais. Esses indicadores são: Compreensão Correta, Intenção Correta, Ação Correta, Palavra Correta, Modo Correto de viver, Esforço Correto, Concentração Correta e Correta Conscientização. Os viajantes que virem qualquer um desses sinais saberão que estão caminhando rumo à felicidade.

A ordem em que os viajantes avistam os sinais não interessa. Se olharmos atentamente para um sinal, ficará claro que cada um tem todos os outros ocultos dentro de si. Mesmo com apenas um pouquinho de Compreensão Correta, só com a suspeita de que podemos ser felizes mesmo quando não estamos satisfeitos, surge a Intenção Correta de fazer um bocado de Esforço Correto para desenvolver mais Compreensão Correta. Qualquer um que se decida a praticar as Palavras Corretas, certificando-se de que cada coisa que diz é verdadeira e útil, descobre que isso não pode ser feito sem a Correta Conscientização. A Correta Conscientização significa prestar atenção a cada momento, e os que fazem isso logo descobrem que também têm a Concentração Correta. Mesmo se uma pessoa disser: "O Caminho Óctuplo é muito complicado e quero seguir só um deles", isso não vai funcionar. Tudo está interligado.

Na jornada para a felicidade, você começa em qualquer lugar. Você começa onde estiver. Tenho apenas um motivo para hesitar em chamar a essa prática de círculo. Mesmo um pequeno círculo ocupa espaço, e o espaço gera a idéia de aqui e lá. Não existe nenhum lá. Quando despertamos para a felicidade, passamos a ficar mais aqui do que jamais estivemos antes. Mas, como o despertar de fato acontece e a prática funciona, precisamos chamá-la de alguma coisa. Acho que ela se parece mais com um ponto óctuplo.


Print Friendly, PDF & Email