Patrul Rimpoche

Fonte: treasuryoflives.org/biographies/view/Patrul-Orgyen-Jigme-Chokyi-Wangpo/4425


Patrul Rimpoche (1808–1887)
Dza Palge Tulku ou Dzogchen Patrul Rinpoche nasceu no ano do Dragão de Terra do décimo quarto ciclo do calendário, em Getse Dzachukha, na área dos nômades, no norte de Kham, em uma família de nome Gyaltok. Ele foi reconhecido por Dodrupchen Jigme Trinle Özer como a encarnação de Palge Samten Phuntsok e recebeu o nome de Orgyen Jigme Chökyi Wangpo.

Em tenra idade, ele aprendeu a ler e escrever sem qualquer dificuldade. Ele recebeu ordenação de Khen Sherab Zangpo. Com Dola Jigme Kalzang, Jigme Ngotsar, Gyalse Shenpen Thaye e outros professores, ele estudou a trilogia de ‘Encontrando Conforto e Naturalidade’, ‘O Caminho do Bodisatva’, ‘Tantra da Essência Secreta’ e muitas outras obras relacionadas aos sutras e ao tantra, assim como as ciências comuns. De Shechen Öntrul Thutob Namgyal, ele recebeu a transmissão de leitura das ‘Palavras do Buda Traduzidas’ (Kangyur) e ensinamentos sobre gramática Sânscrita. Ele recebeu a transmissão do Kangyur e do Tengyur completos, junto com os excelentes escritos dos oniscientes pai e filho (Longchen Rabjam ‘Longchenpa’ e Jigme Lingpa) da tradição Nyingma, assim como as obras de Sakya Pandita, Senhor Tsongkhapa, e muitos outros grandes mestres das escolas da tradução antiga e nova, e por estudar e refletir sobre elas com diligência e persistência e sem qualquer preconceito sectário, ele atingiu um nível perfeito de erudição.

Não apenas ele recebeu instruções sobre as preliminares do Longchen Nyingtik vinte e cinco vezes de Jigme Gyalwe Nyugu, ele completou as práticas requeridas o mesmo número de vezes.*
(* Em outras palavras, ele completou duas milhões e quinhentas mil prostrações, e o mesmo número de recitações do mantra de cem sílabas de Vajrasatva, oferecimentos de mandala e repetições da prece de Sete Linhas.)

Adicionalmente, ele recebeu instruções sobre a prática de tsa-lung e Dzogchen, e estudou muitos dos ciclos de prática encontrados nas escrituras canônicas (kama) da escola Nyingma. Do Khyentse Yeshe Dorje introduziu Patrul diretamente à pura consciência de rigpa enquanto exibia um comportamento selvagem e excêntrico. Patrul treinou por um longo tempo nas práticas de tsa-lung do Longchen Nyingtik, e ele recebeu imensas quantidades de Darma que é como néctar, de Dzogchen Rinpoche Mingyur Namkhe Dorje e outros mestres.

Enquanto residiu por longos períodos próximo ao Monastério Dzogchen, nos eremitérios isolados de Rudam, como a caverna Yamantaka e a caverna Longa Vida, ele colocou toda sua energia na prática de meditação e atingiu uma realização que era vasta como o espaço.

A partir da idade de trinta anos, ele viajou para Serthar, Yarlung Pemakö e outros lugares, ensinando extensivamente sobre o ‘Tantra da Essência Secreta’ (‘Guhyagarbha Tantra’) para encontros de afortunados vidyadharas (em tibetano, ‘rigdzins’). Para assembléias em Serthar e nas regiões superiores e inferiores do vale ‘Do’ ele concedeu incontáveis presentes do Darma, ensinando sobre ‘O Caminho do(a) Bodisatva’, ‘Mani Kabum’, ‘Prece de Aspiração de Sukhavati’ e assim por diante. Ele pôs um fim na roubalheira e na bandidagem e aboliu o costume de servir carne em encontros especiais.

Ele foi para Dzamthang e estudou as seis yogas com Tsangpa Ngawang Chöjor, e ele foi para Minyak, onde ele teve extensivas discussões com Dra Geshe Tsultrim Namgyal sobre o prajnaparamita e outros tópicos. Dessa forma, ele seguiu como um renunciante, tendo abandonado todas as preocupações mundanas, e trabalhou imparcialmente pelo bem dos outros, sem nenhuma agenda ou itinerário fixos.

No Shedra (centro de ensino) Shri Singha no Mosteiro Dzogchen, e em Peme Thang e outros lugares, ele girou a roda do Darma ininterruptamente, ensinando sobre os tratados de Maitreya, o ‘Caminho do Meio’, Abidarma, ‘Tantra da Essência Secreta’, ‘Tesouro de Preciosas Qualidades’, ‘Averiguação dos Três Votos’ e outros tópicos. Em particular, quando ele ensinou sobre ‘O Caminho do Bodisatva’ na vizinhança do Dzogchen Shri Singha por vários anos seguidos, um grande número de flores chamadas Serchen, com entre trinta a cinquenta pétalas, floresceu de repente, e elas ficaram conhecidas como ‘flores bodhicharyavatara’.

Quando o Terton Chokgyur Dechen Lingpa pegou o terma de ‘Demchok Sangye Nyamjor’ (‘A Inseparável União do Buda’) de Rudam Kangtro, o eremitério das neves perto do monastério Dzogchen, ele apontou Patrul Rinpoche como o guardião desse e de outros ciclos (de ensinamentos), incluindo a ‘Essência do Coração das Três Famílias’ (‘Riksum Nyingtik’), e ofereceu a ele todos os empoderamentos necessários, lendo transmissões e instruções.

Ele foi para Kathok Dorje Den, onde ele ofereceu prostrações e circuambulou os relicários dos três grandes mestres Dampa Deshek, Tsangtön Dorje e Jampa Bum. Atendendo ao pedido de Situ Choktrul Chokyi Lodro e de outras pessoas, ele deu extensivas explicações sobre ‘O Caminho do Bodisatva’ para a assembléia inteira de monges. Ele foi para os principais monastérios da tradição Riwo Gendenpa (nota do tradutor: a tradição fundada por Tsongkhapa, também conhecida como Kadam Sarmapa ou Gelugpa) como Sershul, Labtridu, Chuhor e outros, e ensinou elaboradamente sobre ‘O Caminho do Bodisatva’ e outros assuntos. Já que ele ensinou de forma clara e sucinta, relacionando tudo com os pontos chave da prática, até mesmo muitos detentores do título Geshe Lharampa (nota do tradutor: o grau mais elevado de Geshe. O tempo de estudo que leva para chegar nesse grau é quinze anos.) jogaram flores de adoração e se curvaram diante dele com devoção.

Ele estabeleceu um centro de ensino na vizinhança do Mosteiro Dzagyal. Quando estava consertando o grande complexo de muros de pedras ‘mani’ (nota do tradutor: pedras esculpidas na forma do mantra Om Mani Padme Hung) que foi construído por sua encarnação anterior, Palge Samten Phuntsok, o complexo de muros se tornou excelentemente bonito e ainda maior e mais alto do que antes, e depois se tornou conhecidos como “O Complexo de Pedras do Patrul”.

Esse grande mestre devotou sua vida inteira ao estudo, à contemplação e à meditação, para seu próprio benefício, e para beneficiar aos outros ele ensinou, debateu e compôs ensinamentos. Agindo assim, ele ajudou tornar o ensino e o estudo de textos como ‘O Caminho do Bodisatva’, os tratados de Maitreya, os ‘Três Conjuntos de Votos’ e o ‘Tesouro de Preciosas Qualidades’, tão difundidos quanto a terra e as pedras, através das regiões mais altas, intermediárias e mais baixas do Leste do Tibete. Em particular, quando a tradição de ensinar o ‘Tantra da Essência Secreta’, e as tradições de orientação experiencial e práticas de tsa-lung para o Longchen Nyingtik, estavam como lamparinas cujo combustível está quase acabando, através de sua grande bondade ele reviveu essas tradições, e as fez serem ainda mais fortes e difundidas do que antes.

Os principais discípulos desse grande mestre que fez tanto para preservar e espalhar os ensinamentos da essência vajra da clara luz incluíam mestres tão eruditos e realizados da escola Nyingma como Kathok Situ Choktrul Chökyi Lodrö, o quinto Dzogchen Rinpoche Thubten Chökyi Dorje, Gyarong Namtrul Kunzang Trekchok Dorje, o segundo e o terceiro Dodrupchens, Jigme Phuntsok Jungne e Jigme Tenpe Nyima, Dechen Rigpe Raldri, que era o filho de Do Khyentse Yeshe Dorje, a suprema encarnação de Shenpen Chökyi Nangwa (Khenpo Shenga), Adzom Druktrul Droddul Dorje, Tertön Lerab Lingpa, Ju Mipham Namgyal, Khenchen Pema Damchö Özer (também conhecido como Khenpo Pema Vajra), Nyoshul Lungtok, Alak Dongak Gyatso e outros. Adicionalmente, seus discípulos incluíam muitos grandes mestres e detentores dos ensinamentos das escolas Sakya, Gelugpa e Kagyu, como Sershul Lharampa Thubten, Palpung Lama Tashi Özer e Ju Lama Drakpa Gyaltsen.

Por fim, no décimo oitavo dia do Saga Dawa no ano do Porco de Fogo do décimo quinto ciclo do calendário, ele exibiu os sinais de dissolver seu corpo de forma no espaço da realidade que permeia tudo.

Patrul Rinpoche compôs incontáveis obras para se adequarem às mentes individuais de seus discípulos e realizar as aspirações deles, e apesar desses discípulos terem guardado essas obras com carinho, elas não foram reunidas pelo próprio mestre ou por seus assistentes, e assim muitas delas nunca foram esculpidas em blocos de impressão. As obras que foram impressas e que podem ser encontradas agora, como néctar sobre o qual nós podemos fazer um festim para nossos olhos, contém um número de volumes igual às seis paramitas. Entre essas composições, nós encontramos todos os estilos de obra, incluindo resumos estruturais (sa bcad) e comentários sobre os tratados de Maitreya, ‘O Caminho do Bodisatva’, ‘Tesouro de Preciosas Qualidades’ e outros textos, profundas instruções cruciais para guiar estudantes experiencialmente, como ‘As Palavras do Meu Professor Perfeito’, coleções de conselhos e escritos diversos incluindo ‘O Drama no Jardim do Lótus’, coleções de preces e assim por diante. Em tudo que ele escreveu, ele nunca entrou excessivamente em detalhes simplesmente para exibir seu conhecimento, mas explicou as coisas a fim de se adequar à capacidade dos alunos.

O caráter extraordinário e especial de seus ensinamentos foi descrito por Dodrupchen Jigme Tenpe Nyima na biografia de Patrul que ele escreveu:

“Se são analisados pelos sábios, eles mostram-se muito significativos. Se são ouvidos pelos de inteligência fraca, eles são fáceis de entender. Como eles condensam os pontos vitais, eles são fáceis de lembrar. Do tamanho certo, tudo é coerente e conectado do começo ao fim. Eles são deliciosos de ouvir, e quaisquer palavras que ele use, duras ou gentis, se tornam ‘de um sabor’ com as instruções, e assim cativam as mentes de todos, sejam sábios, confusos, ou em algum lugar entre esses dois.”

Escrito por Thubten Nyima (Alak Zenkar Rinpoche)
Traduzido de tibetano para inglês por Adam Pearcey e Patrick Gaffney, em 2006.
Texto em inglês copiado de https://www.lotsawahouse.org/tibetan-masters/patrul-rinpoche/biography
Traduzido de inglês para português por Ormando MN (Lagarto Manco) em agosto de 2019, com alegria da visita do mestre Dzogchen Ponlop Rinpoche ao Brasil.


Fonte: https://medium.com/zhiomn/uma-breve-biografia-de-dza-patrul-rinpoche-1808-1887-por-alak-zenkar-rinpoche-tradu%C3%A7%C3%A3o-f7be1334bd26